Nova no Blog

Tentanto,experimentando e blogando..... Entrem,comentem e sejam bem vindos!

sexta-feira, 6 de maio de 2011

Minha mãe, minhas avós, minha irmã.

Domingo é dia das mães e todo mundo corre para casa da mamãe,(quem ainda tem a sua)uns preparam um almoço,outros vão só filar mais não sei se todo mundo se lembra de outras mães que adotam agente durante essa vida de meu Deus.
São mulheres guerreiras,forte,corajosas que mesmo diante de toda adversidade,perante a dor e a alegria de ser mulher,encontram espaço para ensinar,educar e amar.
Eu tive várias delas em minha vida.
A primeira minha avó materna debaixo de uma aparência implacável, super séria,sempre me trazia um presentinho e dizia que era porque eu ia bem na escola!
Sei que era porque ela não conseguia dizer:
Toma aqui,isso é porque eu te amo!
Mais eu sabia,ou melhor:sentia....
Outra minha avó Paterna,super descolada,animada e com um senso de humor que me rendia muitas piadas...
Sempre lembro do dia das mães na casa de dela,meus tios cantando:
"Mamãe,mamãe,mamãe..eu te lembro o chinelo na mão..."
e arrematavam:
"Conceição eu me lembro muito bem...." O nome dela era esse e meus tios todos metidos a cantores...rsrsrs( e isso era sério!)
Minha avó sempre tinha uma palavra, seja para aconselhar,chamar atenção ou pra te zuar mesmo( e essa última era a que ela mais gostava!)
Um dia ainda vou postar para vocês algumas das peripécias de D.Conceição, a primeira Stand up comedy que eu conheci.
Por ordem de nascimento :
Minha mãe:Maria.
E como o próprio nome já carrega uma marca forte, ela não poderia escapar!
Eita Mulher!!!!Essa é minha luz!!
Já passou por tanta coisa nesta vida que até daria uma enciclopédia e me surpreendo assim cada dia o quanto que eu ainda tenho que aprender com ela!
E por último minhas "irmães".
Cada uma de uma forma diferente,são meus esteios uma delas acho que pensa realmente ser minha mãe, rsrs...mal posso falar disso sem que me emocione,outra guerreira está alí!
Mulheres que multiplicam o ser mãe e me ensinam a cada dia que ser mulher e mãe é uma tarefa de amor que nos aproxima dos ensinamentos divinos em um grau que não podemos explicar,aguardo o meu dia ,mais por enquanto só posso relembrar os tempos antigos e cantar:

MAMÃE



Composição: David Nasser e Herivelto Martins

Interpretação: Ângela Maria e João Dias



Ela é a dona de tudo

Ela é a rainha do lar

Ela vale mais para mim

Que o céu, que a terra, que o mar



Ela é a palavra mais linda

Que um dia o poeta escreveu

Ela é o tesouro que o pobre

Das mãos do Senhor recebeu



Mamãe, mamãe, mamãe

Tu és a razão dos meus dias

Tu és feita de amor e de esperança

Ai, ai, ai, mamãe

Eu cresci, o caminho perdi

Volto a ti e me sinto criança



Mamãe, mamãe, mamãe

Eu te lembro o chinelo na mão

O avental todo sujo de ovo

Se eu pudesse

Eu queria, outra vez, mamãe

Começar tudo, tudo de novo



Ela é a dona de tudo

Ela é a rainha do lar

Ela vale mais para mim

Que o céu, que a terra, que o mar



Ela é a palavra mais linda

Que um dia o poeta escreveu

Ela é o tesouro que o pobre

Das mãos do Senhor recebeu



Mamãe, mamãe, mamãe

Tu és a razão dos meus dias

Tu és feita de amor e de esperança

Ai, ai, ai, mamãe

Eu cresci, o caminho perdi

Volto a ti e me sinto criança



Mamãe, mamãe, mamãe

Eu te lembro o chinelo na mão

O avental todo sujo de ovo

Se eu pudesse

Eu queria, outra vez, mamãe

Começar tudo, tudo de novo



(Dorme, dorme, filhinho)

 `A todas as mães possíveis e impossíveis, feliz dia das mães!"

..............................saudades dos meus tios que já não podem cantar!!!!!!!!!!!!!!!!

Um comentário:

  1. Eu emocionei com o texto.
    Lembrei.
    Sem dor, sem lágrimas.
    Mas com um sei "lá o que" aqui dentro.
    Ah velha Conceição!
    Saudades!

    Mãe
    A minha faleceu em 13.01.2001, no dia de seu aniversário.
    Vivi ao lado dela, por muitos anos., até quando sai.
    O alicerce estava pronto, as paredes erguidas, o telhado feito, o acabamento concluído.
    Fico imaginando qual foi a reação dela, ao constatar a gravidez.
    Sou o caçula. Éramos seis.
    Aquela senhora, mãe de cinco filhos, grávida, depois de onze anos.
    Quase avó da sua primeira neta
    Madrinha de dezenas de afilhados.
    Tia de uma plêiade de sobrinhos.
    Grávida!.
    Alegria, vergonha, timidez.
    Que diabos ela sentia?.
    Além do amor.
    Sim!
    Amor de mãe.
    Só quem o recebe, sabe o que é.
    Um amor que gera, nutri e pari a vida.
    Um dar de si.

    Minha mãe!
    Eu poderia ter sido apenas um óvulo fecundado.
    Um feto abortado.
    Uma criança abandonada.
    Se sou, não fui.
    Devo-te!
    Fui amado!
    rar.

    ResponderExcluir

Ah, que bom,você vai comentar.......vou gostar muito de ler sua opinião!!