Nova no Blog

Tentanto,experimentando e blogando..... Entrem,comentem e sejam bem vindos!

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Anos 80/Trem da alegria

"Oh! que saudades que tenho


Da aurora da minha vida,

Da minha infância querida

Que os anos não trazem mais!

Que amor, que sonhos, que flores,

Naquelas tardes fagueiras

À sombra das bananeiras,

Debaixo dos laranjais!

Como são belos os dias

Do despontar da existência!

— Respira a alma inocência

Como perfumes a flor;

O mar é — lago sereno,

O céu — um manto azulado,

O mundo — um sonho dourado,

A vida — um hino d'amor!

Que aurora, que sol, que vida,

Que noites de melodia

Naquela doce alegria,

Naquele ingênuo folgar!

O céu bordado d'estrelas,

A terra de aromas cheia

As ondas beijando a areia

E a lua beijando o mar!

Oh! dias da minha infância!

Oh! meu céu de primavera!

Que doce a vida não era

Nessa risonha manhã!

Em vez das mágoas de agora,

Eu tinha nessas delícias

De minha mãe as carícias

E beijos de minha irmã!

Livre filho das montanhas,

Eu ia bem satisfeito,

Da camisa aberta o peito,

— Pés descalços, braços nus

— Correndo pelas campinas

A roda das cachoeiras,

Atrás das asas ligeiras

Das borboletas azuis!

Naqueles tempos ditosos

Ia colher as pitangas,

Trepava a tirar as mangas,

Brincava à beira do mar;

Rezava às Ave-Marias,

Achava o céu sempre lindo.

Adormecia sorrindo

E despertava a cantar!

................................

Oh! que saudades que tenho

Da aurora da minha vida,

Da minha infância querida

Que os anos não trazem mais!

— Que amor, que sonhos, que flores,

Naquelas tardes fagueiras

À sombra das bananeiras

Debaixo dos laranjais! "

Com toda licença poética tive que recorre a Casimiro de Abreu quando vi essa foto do Juninho bill.
Só quem teve infância nos anos 80 vai entender o que eu digo....Ele era do trem da Alegria, o moleque mais levado daquela época fez também um programa com o Sérgio malandro: A porta dos desesperados, quem lembra?
Os anos 80 para a infância foi uma época muito produtiva, os programas infantís eram mais variados, as músicas eram super legais...
Devo estar mesmo ficando velha! Olhando agora para a cara do Juninho, percebo isso.
E essa mania de falar que no meu tempo era melhor...
ah, mais era mesmo!!!!

Só uma lembrançinha do que foi esta época:
Bozo, Vovó Mafalda, tia Dulce

Sérgio Malandro
Trem da Alegria

                                                                             Xuxa




E isso é só um pouquinho...  me segura  Cassemiro de Abreu.....

sábado, 27 de novembro de 2010

Olha isso...que fofo!

Árvore de latinhas.

                                                                       Olha essa idéia que máximo!

Em busca da árvore perfeita

Pois é....
Queria fazer uma árvore aqui em casa, vai ser a primeira na minha casa.Queria uma coisa diferente mais original e que fosse também bonita.
Vi uns exemplos que vou mostrar aqui se alguém tiver mais idéias por favor deixa um recadinho...
ainda não me decidi.

Esta é de adesivo, para colar na parede:


Essa é bem legal, mais o coqueiro que eu tenho está bem pequeno ainda....




gostei muito dessa ein;;;;;;
Fazendo algumas modificações tem muita chance comigo essas aí.
Oque acham?

                                                        Móbile de natal....idéia boa hãn?

                                                                        Muito chique.



                                                             Ecologicamente correta!
E tem passo a  passo:
Confecção da Árvore:




Com o estilete e régua, ou com a guilhotina, corte 50 folhas de papel jornal, em cada um dos tamanhos a seguir (lembre-se que você pode cortar várias folhas por vez, do mesmo tamanho):



◦15cm por 15 cm;

◦14cm por 14 cm;

◦13 cm x 13 cm;

◦11,5 cm x 11,5 cm;

◦10cm x 10cm;

◦9,0 cm x 9,0cm

◦7,5cm x 7,5cm;

◦6,5cm x 6,5cm

◦5cm x 5cm;

◦3,8 cm x 3,8 cm.

Para colocar os quadrados de jornal na base da árvore:



Coloque as duas folhas de 15cm por 15 cm de papel cartão (ou cartolina), na agulga de tricô já colada à base de argila, de maneira a “sustentar” o peso das folhas de jornal por sobre a base;



Dobre as folhas ao meio, e depois, novamente, marcando o vinco com o “bone folder” (ou régua/lápis),



Coloque-as, de maneira intercalada, por ordem de tamanho (primeiro as maiores), sempre tomando o cuidado de marcá-las com vinco antes de perfurar as folhas na base. As folhas devem ficar em direções opostas, uma a uma, de maneira a evitar que fique uma “pilha” de quadrados de jornal.



Após a colocação da última folha de 2,5 cm, passe a cola em spray (ou laquê/fixador de cabelos) pulverizando-a cuidadosamente por sobre a árvore, e despeje o glitter da cor que escolheu por cima.



Caso tenha escolhido um enfeite para o topo da árvore, cole-o com a pistola de cola quente ou adesivo instantâneo.



Pronto, e um Feliz Natal!



Tá tudo bem, não é uma árvore de natal, mais pega a idéia....com rolhinhas...fala que não é sedutora?

 Fonte: CAsa abril.com

terça-feira, 23 de novembro de 2010

É você quem pontua a sua vida!

Vamos rir um pouco com o
show da língua portuguesa!



'Um homem rico estava agonizando. Pediu papel e caneta. Escreveu assim:



'Deixo meus bens a minha irmã não a meu sobrinho jamais será paga a conta do padeiro nada dou aos pobres'



Morreu antes de fazer a pontuação. A quem deixava a fortuna? Eram quatro concorrentes.



1) O sobrinho fez a seguinte pontuação:

Deixo meus bens à minha irmã? Não! A meu sobrinho. Jamais será paga a conta do padeiro. Nada dou aos pobres.



2) A irmã chegou em seguida. Pontuou assim o escrito:

Deixo meus bens à minha irmã. Não a meu sobrinho. Jamais será paga a conta do padeiro. Nada dou aos pobres.



3) O padeiro pediu cópia do original. Puxou a brasa pra sardinha dele:

Deixo meus bens à minha irmã? Não! A meu sobrinho? Jamais! Será paga a conta do padeiro. Nada dou aos pobres.



4) Aí, chegaram os descamisados da cidade. Um deles, sabido, fez esta interpretação:

Deixo meus bens à minha irmã? Não! A meu sobrinho? Jamais! Será paga a conta do padeiro? Nada! Dou aos pobres!



Moral da história:



"A vida pode ser interpretada e vivida de diversas maneiras.

Nós é que fazemos a sua pontuação. E isso faz toda a diferença..."

Para rir um pouco

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Escolhendo a make para peles negras.

Escolhendo a maquiagem


Esqueça aquela idéia de que a maquiagem para a pele escura deve ter somente tons de cobre. Apesar de ser uma questão de gosto, a pele negra permite tanto uma maquiagem natural, sem muito contraste, como um make colorido, com olhos bem marcados, por exemplo.


A Base



Para escolher a cor de base perfeita, a regra é não tentar escurecer ou clarear a pele. Se a tonalidade da base for mais clara, ela pode deixar a pele esbranquiçada ou rosada. É importante também levar em conta que o tom da pele negra tende mais para o vermelho ou o amarelo e a base deve seguir essa mesma coloração. Para não correr o risco de ficar com uma aparência artificial, teste a base antes de comprar. O melhor lugar para testar a base é  na região que fica abaixo das maçãs do rosto e na linha do queixo.




O pó



As mesmas regras valem na hora de escolher o pó facial, ele não deve ficar evidente na pele. 
Na hora de escolher um corretivo para disfarçar as olheiras e as imperfeições da pele, opte por um ou dois tons abaixo do tom da base.




O Blush


O blush é essencial para dar vida às maçãs do rosto. As mulheres negras devem optar pelo o rosa queimado Vinho e o terracota, que dão um aspecto saudável. Os tons de laranja, salmão e pêssego não combinam com a pele escura. Para a boca, invista em tons de amora, ameixa, vinho, café e chocolate.


Sombras



Na cartela de cores de sombras ideais para a pele negra bem escura, estão os tradicionais tons de cobre, dourado, rosa escuro, vermelho fechado, vinho, berinjela grafite, uva, azul profundo e bordô. Já para as mulheres que tem a pele negra mais puxada para o marrom, as cores mais indicadas são o dourado, bronze, cobre, chocolate ou mesmo o próprio marrom. Sombras com efeito metálico e cintilante, principalmente se combinados com um delineador preto, deixam a maquiagem mais viva. As de textura fosca trazem mais naturalidade.









 
 
Fonte de pesquisa
Site : coisa de mulher

Make para peles negras.

Para peles escuras, a “zona de segurança” são cores quentes como o bronze, marrom, laranja e dourado. Mas as negras também podem (e devem!) investir nas cores frias (azul, roxo, verde e pink). Olha que espetáculo esses dois looks de Rihanna: sombra bronze (à esquerda) e berinjela (à direita)
Se a ideia é fazer uma boca marcante, aposte nos batons de tonalidades de amora, ameixa, vinho, café e chocolate. Para um efeito suave, invista nos beges nude ou gloss transparentes



As sombras prata e cinza são uma ótima alternativa para eventos noturnos. Mas nos lábios, prefira cores cor de boca para não “esfriar” muito o look.


Além do prata, nuances mais abertas de lilás, azul e verde são uma opção certeira para realçar os olhos. Esfume a sombra para criar o efeito degradê.

Para colorir as maçãs do rosto, as cores ideais de blush são marrom-escuro, berinjela e terracota.

Para a cobertura, vale uma dica: Peles muito morena e negra tendem a ser mais escuras ao redor da boca, próximo à raiz dos cabelos e em volta dos olhos. Invista em duas cores de base: uma com o seu tom natural e outra no tom dos pontos escuros!



Desde que escolhidos corretamente, tons pastel estão liberados para a pele negra. Evite azuis e rosa-bebê e invista nos rosas antigos, no salmão e nas variações de pêssego.



Cuidado na hora de escolher a cor da base e do corretivo. Um tom muito claro fica artificial e acizentado. Use o corretivo para igualar as partes do rosto em que a pele está mais escura.


Dois looks de festa da cantora Jennifer Hudson. Com sombra preta esfumada (à esquerda) e com sombra prata (à direita).



Camila Pitanga investe no batom vermelho de tonalidade aberta

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Um pouco mais sobre os heróis...

Humanizando  heróis, a história por traz da história. 
Tiradentes


Novos estudos históricos apresentam uma inconfidência mineira diferente daquela que nos narram os livros didáticos.

Embora a historiografia oficial considere a inconfidência mineira (1789) como uma grande luta para a libertação do Brasil, o historiador inglês Kenneth Maxwell, autor de "A devassa da devassa" (Rio de Janeiro, Terra e Paz, 2ª ed. 1978.) que esteve recentemente no Brasil, diz que "a conspiração dos mineiros era, basicamente, um movimento de oligarquias, no interesse da oligarquia, sendo o nome do povo invocado apenas como justificativa", e que objetivava, não a independência do Brasil, mas a de Minas Gerais.



Esses novos estudos apresentam um Tiradentes bem mudado: sem barba, sem liderança e sem glória. Segundo Maxwell, Joaquim José da Silva Xavier não foi senão o "bode expiatório" da conspiração. (op.cit., p. 222) "Na verdade, o alferes provavelmente nunca esteve plenamente a par dos planos e objetivos mais amplos do movimento." (p.216) O que é natural acreditar. Como um simples alferes (o equivalente a tenente, hoje) lideraria coronéis, brigadeiros, padres e desembargadores?

Como depois de morto, não restou nenhuma descrição de como tiradentes realmente era , sua imagem foi forjada pelos franciscanos, confessores dos inconfidentes o ideal cristão é projetado na figura de Tiradentes. Torna-se modelo de homem cristão, generoso, arrependido, castigado, mas preparado para bem morrer. Segundo os confessores, ele recebeu sereno e convencido da gravidade de seus pecados a sentença condenatória.como se fosse o próprio Cristo: beija os pés e perdoa o carrasco; recebe a alva, despe a camisa e caminha com o crucifixo na mão.É desta forma que se formaliza a primeira tentativa de criar uma memória histórica da Inconfidência Mineira e, também, a construção da imagem de Tiradentes e não é por mera coincidencia que ele é retratado em imagem muito parecida com Jesus Cristo.


Os prórpios carrascos de Tiradentes lhe conferiram uma imagem que ao mesmo tempo o fazia um herói e não representava perigo à monarquia.

A Folha de S. Paulo publicou um artigo (21-04-98) no qual se comentam os estudos do historiador carioca Marcos Antônio Correa. Correa defende que Tiradentes não morreu enforcado em 21 de abril de 1792. Ele começou a suspeitar disso quando viu uma lista de presença da Assembléia Nacional francesa de 1793, onde constava a assinatura de um tal Joaquim José da Silva Xavier, cujo estudo grafotécnico permitiu concluir que se tratava da assinatura de Tiradentes. Segundo Correa, um ladrão condenado morreu no lugar de Tiradentes, em troca de ajuda financeira à sua família, oferecida pela maçonaria. Testemunhas da morte de Tiradentes se diziam surpresas, porque o executado aparentava ter menos de 45 anos. Sustenta Correa que Tiradentes teria sido salvo pelo poeta Cruz e Silva (maçom, amigo dos inconfidentes e um dos juízes da Devassa) e embarcado incógnito para Lisboa em agosto de 1792.

Isso confirma o que havia dito Martim Francisco (irmão de José Bonifácio de Andrada e Silva): que não fora Tiradentes quem morrera enforcado, mas outra pessoa, e que, após o esquartejamento do cadáver, desapareceram com a cabeça, para que não se pudesse identificar o corpo.
"Se dez vidas eu tivesse, dez vidas eu daria pelo Brasil". Como só tinha uma, talvez Tiradentes tenha preferido ficar com ela"
Tiradentes na verdade começou toda a revolução por razões comerciais,sendo que aos dezoito anos optou pela carreira de  armas alistou se  e imediatamente pelo fato de pertencer a elite branca e pela habilidade técnica que tinhade dentista,serviu muitos anos à coroa portuguesa, teve escravos,(pois é)após ser negado a tiradentes uma conseção o seu projeto de canalização e de construção de novos moinhos, Tiradentes então passou a se encontrar com pessoas que teriam interesses em separar o Brasil do reino lusitano o que o levaria mais tarde ao mítico herói da Inconfidência Mineira.










Pesquisas:Desciclópedia,Fatos e personagens.com,Abrali.com,www.montfort.org.b e livros citados no corpo do texto.













































Os primeiros republicanos , em busca de um herói nacional, encontraram nele, o símbolo mais que perfeito.













































Mais será que foi assim?













































Alferes da cavalaria regular da Capitania de Minas Gerais,Pertensente a elite branca,tinha 8 escravos e prestou serviço à corte portuiJoaquim José da Silva Xavier, mais popularmente conhecido como “Tiradentes"

Nossos heróis.Heróis? Parte 1

O termo herói surgiu na Babilônia, mais precisamente na famosa cidade de Sodoma, mais na Palestina do que na Mesopotâmia propriamente dita. A lenda é breve.


Um homem, chamado Roi-Baal ("Maldição de Baal" em idioma cuneiforme) vivia em paz e harmonia com seus irmãos e inimigos em Sodoma. Frequentemente ia até a cidade murada de Gomorra para se divertir com seus amigos, torturar hititas e fenícios, e entre outras coisas comer javalis assados e prostitutas. Certo dia, no Dia 213 do Reinado de Nabucodonosor, Roi-Baal estava em Gomorra quando irrompeu tremenda tempestade sobre a terra, aparentemente tão terrível quanto à que assomou Gilgamesh .


Roi-Baal salvou a cidade de Gomorra inteira de uma inundação iminente quando teve a magnífica ideia de fechar os portões e vedar as frestas de madeira com palha, trigo, cevada e centeio. Todo exército e organizações criminosas de Gomorra cooperaram na empreitada e a ideia surtiu efeito quase imediato. No dia seguinte os cidadãos perceberam a magnífica atitude heróica de Roi-Baal. A cidade permaneceu quase seca, e por fora de suas muralhas, uma imensa lagoa se formou.



As colheitas foram perdidas, e o estoque de comida da cidade foi todo gasto ao se vedar as frestas. Mesmo um terço da cidade sitiada tendo morrido de fome, Roi-Baal foi aclamado redentor de Gomorra. A cidade permanecia seca, porém como as águas não baixavam e já haviam se passado vinte dias de enchente, os gomorritas tiveram a brilhante ideia de sacrificar seu herói aos deuses, pois sacrifícios humanos consistiam em uma prática muito comum na Antiguidade pelo Paganismo, e foram adotadas pelo Santo Ofício Inquisidor na Idade Média pelo Catolicismo. Aplacando a fúria de Dagom, Shiva e Morpheus com o sacrifício humano, as águas baixaram no dia seguinte, o vigésimo primeiro, e os gomorritas voltaram à suas vidas agradáveis e pacatas, plantando e colhendo cereais, produzindo vinho, assaltando os forasteiros e torturando seus vizinhos.



Quando os oficiais do comando central da cidade de Babilônia chegaram à cidade com o intento de pilhar o que tivesse restado dos estragos da inundação e assassinar os gomorritas sobreviventes, encontraram quase todos sãos e salvos (exceto um terço da cidade que falecera de fome como consequência do fato já explicado) levando suas vidas em paz (não exatamente em paz) de forma mais natural possível. Ao questionarem para os cidadãos o que ocorrera, lhes explicaram tudo. Os oficiais militares pediram a um escriba cuneiforme que registrasse tudo conforme os gomorritas lhe contassem. Como ficou constado nos registros, desde então sempre que perguntavam aos gomorritas quem era o salvador de sua cidade eles respondiam: "É Roi-Baal!"



Com o passar das estações, diziam: "É Rói!"
E com o passar de algumas gerações a palavra ganhou sua forma original: "Herói

Pois é, o homem sempre precisou de heróis para contar uma histórias com finais felizes, e o mais interessante é que este anseio é propagado pela escola e sociedade de uma maneira contínua e cada vez mais eficaz
.
Nos livros de história , não vemos pessoas legais que deram sua contribuição, mais quase sempre a figura mítica do herói,quando dou minhas aulas procuro saber o possível para retificar algumas informações.Não é que o papai noel não seja bom....mais não dá para passar a vida vendo renas voando ....
Neste post e em alguns mais vou esclarecer alguns pontos de nossos heróis humanos...
Sem deixar de admirá los pelos seus feitos, porém acrescentar  um pouco mais de humanidade nas suas histórias.

Herói  1 :
Zumbi


Zumbi, o maior herói negro do Brasil, o homem em cuja data de morte se comemora em muitas cidades do país o Dia da Consciência Negra, mandava capturar escravos de fazendas vizinhas para que eles trabalhassem forçados no Quilombo dos Palmares. Também sequestrava mulheres, raras nas primeiras décadas do Brasil, e executava aqueles que quisessem fugir do quilombo.




Essa informação parece ofender algumas pessoas hoje em dia, a ponto de preferirem omiti-la ou censurá-Ia, mas na verdade trata-se de um dado óbvio. É claro que Zumbi tinha escravos. Sabe-se muito pouco sobre ele – cogita-se até que o nome mais correto seja Zambi – mas é certo que viveu no século 17. E quem viveu próximo do poder no século 17 tinha escravos, sobretudo quem liderava algum povo de influência africana.


Porque será?




O hábito da escravidão também existia em África

Desde a Antiguidade, os humanos guerrearam, conquistaram escravos e muitas vezes venderam os que sobravam. Até o século 19, em Angola e no Congo, de onde veio a maior parte dos africanos que povoaram Palmares, os sobás se valiam de escravos na corte e invadiam povoados vizinhos para capturar gente. O sistema escravocrata só começou a ruir quando o Iluminismo ganhou força na Europa e nos Estados Unidos. Com base na ideia de que todos as pessoas merecem direitos iguais, surgiu a Declaração dos Direitos da Virgínia, de 1776, e os primeiros protestos populares contra a escravidão, na Inglaterra. Os abolicionistas apareceram um século depois de Zumbi e a sete mil quilômetros da região onde o Quilombo dos Palmares foi construído.


 

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Mais do mesmo...

Não consigo evitar!!!
Ah ! Roupas... Oque não podemos como uma roupa que fica perfeita....
Dei uma passadinha no site da Victórias secret e não aguentei, resolvi postar.
A idéia é copiar alguns modelitos...


Casacos, jaquetas.. são minha paixão e esses da Victória´s são a minha cara gente!!


                                                            Para tudoooooooooo!

                                                                            Brilho....

Brilho....


casual chick

Jaqueta vai com tudo....
Olha que legal,você pode conseguir o visual que quiser, é só saber jogar!
Do chique ao rock...
Do fino...
ao pop...

E dá até pra brincar..

se uniformizar....

Ser uma menina moça..

ou super sexy...

A festa é nossa..
Nós escolhemos...

                                                            Do jeito que acordamos...
 nos inspiramos


Na cidade..

                                                                               Na praia
                                                                     

No campo




Jaqueta em todo lugar, tem jeito de não gostar?



                                                         E a  Fitinha na cintura ein?
é muito atual...

Curtiram?Qual é a sua cara?
A minha são todas!!rsrsr