Nova no Blog

Tentanto,experimentando e blogando..... Entrem,comentem e sejam bem vindos!

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Sistema de cotas

Continuando o tema do dia nacional da consciência negra vou falar um pouco sobre o sistema de cotas.
As diferenças sociais e raciais no Brasil existem há aproximadamente 500 anos, desde esse período os líderes brasileiros trataram e tratam desse assunto com descaso. Para piorar a situação os investimentos feitos na área da educação são precários, ignorando o principal objetivo dessa que tem por finalidade preparar o estudante para se tornar uma pessoa capacitada a vencer todo e qualquer desafio.




Os alunos de escolas públicas geralmente não recebem a preparação adequada e por isso não conseguem ingressar nas universidades, já o negro sofre discriminação racial. Dados estatísticos revelam que apesar da raça negra representar 45% da população brasileira, apenas 2% são universitários. Para melhorar esses dados, o governo deveria adotar medidas que promovam a melhoria do ensino fundamental e médio, dando condições para que o aluno carente, negro ou indígena concorra em pé de igualdade com alunos da rede particular de ensino e estudantes brancos e pardos.



Porém, para conseguir um resultado que podemos chamar de “imediato” e ter uma imagem positiva, o governo criou o projeto de cotas para o ensino superior. Ao invés do estudante negro, carente ou indígena concorrer pelo sistema universal de vagas, ele concorre pelo sistema de cotas, ou seja, ele concorre à quantidade “x” de vagas reservadas ao seu grupo. Por exemplo, um vestibulando negro optante pelo sistema de cotas concorre unicamente com negros que também optaram pelo sistema.



Muitas universidades já adotaram o sistema de cotas, sendo a Universidade de Brasília a primeira, em junho de 2004. Essa medida para muitos é uma forma de discriminação para com os estudantes negros, carentes, indígenas, brancos e pardos, pois segundo o artigo 5º da Constituição Federal Brasileira; “Todos somos iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no país a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à segurança e à propriedade”. A discussão acerca desse tema vai durar um bom tempo, até que se estabeleça a concordância de todos.

referência:www.mundoeducacao.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ah, que bom,você vai comentar.......vou gostar muito de ler sua opinião!!